Cartão de crédito PJ: vale a pena ter um cartão empresarial?

Você está considerando ter um cartão de crédito PJ na sua empresa? Antes de solicitar, leia...

Que não devemos misturar as contas pessoais com as do negócio, você provavelmente já sabia, mas como solucionar um problema frequente das empresas que é escolher o melhor cartão de crédito PJ?

Cartões empresariais, ou cartões de crédito PJ, não são exatamente uma novidade no mercado, mas ainda surgem muitas dúvidas sobre o tema, como o que é cartão corporativo, como funciona e como solicitar um junto ao seu banco. 

Confira, neste artigo, se vale a pena ter um cartão de crédito empresarial e como escolher a melhor instituição financeira!

Como funciona um cartão de crédito empresarial?

De maneira geral, cartões de crédito PJ são emitidos por instituições financeiras e têm como instrumento de pagamento o pós-pago, que, em outras palavras, significa que primeiro é feita a compra e depois o pagamento da fatura é realizado. 

A lógica dos cartões PJ é a mesma dos cartões pessoais. Existe um limite de crédito, negociado com a instituição financeira, e é possível fazer compras à vista ou parceladas até atingir esse limite. Posteriormente, os gastos devem ser pagos por meio de uma fatura na data de vencimento acordada. O pagamento pode ser feito integral ou parcialmente. 

Em alguns casos, a fatura é debitada diretamente do saldo da conta do titular. Isso contribui para construir o limite de crédito no mercado, já que as faturas são sempre pagas em dia. 

Tenha em mente que o crédito cedido pela instituição financeira funciona como um empréstimo oferecido para que o cliente faça compras. Ou seja, se a fatura não for paga em dia, podem incidir juros e outros encargos no total devido. 

Uma vantagem de contar com o cartão de crédito corporativo para a sua empresa é poder comprar sem um grande impacto no seu volume de caixa, dividindo os pagamentos em parcelas ou ganhando prazo até o vencimento

Cartão de crédito PJ: vale a pena ter um cartão empresarial?

Como fazer um cartão de crédito para empresas?

Na maioria das instituições financeiras, a empresa precisa seguir um passo-a-passo até conseguir liberar um cartão de crédito. Confira, a seguir, as etapas mais comuns a serem solicitadas.

Escolha o tipo de cartão e a instituição financeira parceira

O primeiro passo é avaliar qual o tipo de cartão de crédito que atende às necessidades da empresa. As opções mais comuns são cartões pós-pago nacional ou internacional, cartão corporativo e cartão pré-pago. 

Cada instituição financeira oferece uma modalidade de cartão diferente com características específicas e benefícios diferentes, que podem variar de acordo com o score de crédito da empresa, taxas de anuidade e outras funcionalidades.

Faça o pedido do cartão

Assim que for escolhida a melhor opção para a empresa e a instituição financeira parceira, seguimos para o pedido do cartão de crédito. Em bancos digitais, essa solicitação pode ser feita pelo internet banking ou aplicativo. 

Envie os documentos necessários

O próximo passo é enviar os documentos necessários para a abertura de conta. Aqui na Conta Simples, por exemplo, são solicitados os seguintes dados:

  • RG ou CNH do sócio responsável pela conta;
  • Selfie do sócio responsável;
  • Contrato Social.

Caso a empresa possua mais de um sócio com 25% de participação, também será solicitado os dados e o RG ou CNH dos mesmos.

Aguarde pela aprovação do cartão de crédito

Dependendo da escolha da instituição financeira, o cartão de crédito pode ser liberado em prazos diferentes. Nos bancos em que há análise de crédito, pode demorar até 15 dias para a liberação do limite. 

Já em instituições que têm a opção de cartão de crédito com limite transferido, o limite é liberado imediatamente com o valor estipulado pelo próprio cliente mediante a transferência bancária. 

Quais são as políticas e critérios para ter um cartão corporativo?

Ao usar o cartão de crédito corporativo, é necessário criar políticas e critérios para não perder o controle. Por isso, preparamos 5 regras básicas para seguir. Veja quais são elas!

1. Defina um teto de gastos

A primeira regra básica para qualquer controle financeiro funcionar é respeitar o orçamento planejado. Ou seja, para manter a gestão do cartão de crédito organizada, defina o limite para cada setor, equipe ou colaborador responsável. 

Se a sua instituição financeira permitir a separação por centros de custo, é mais simples ainda. Dessa forma, você conseguirá emitir cartões de crédito corporativos para cada um com um limite pré-estabelecido, sem correr o risco de estourar o orçamento. 

À medida que for necessário, os limites de gastos podem ser ajustados de acordo com as necessidades dos responsáveis pelos centros de custo. É interessante pedir para que cada solicitação de ajuste seja feita de maneira centralizada e com uma justificativa. 

2. Estabeleça quais gastos podem ser pagos com o cartão corporativo

Para não perder o controle sobre o que é gasto no cartão de crédito da empresa, é necessário criar uma política de uso com tudo que pode ser pago, listando devidamente classificado e validado pela liderança.

Algumas das despesas corporativas mais comuns são:

  • Alimentação e bebidas;
  • Passagens aéreas ou terrestres;
  • Aluguel de carro;
  • Combustível;
  • Pedágio;
  • Hospedagens;
  • Congressos e feiras;
  • Materiais de escritório;
  • Assinatura de cursos, ferramentas e plataformas.

3. Defina quais colaboradores terão acesso ao cartão de crédito empresarial

Normalmente, as instituições financeiras tradicionais oferecem apenas um cartão de crédito para a empresa, que fica com o líder da equipe e é emprestado para os colaboradores à medida que as demandas surgem. No entanto, conforme o número de funcionários aumenta, o gestor pode perder o controle de quem usou o cartão corporativo e para que. 

O ideal é quando existe a possibilidade de criar perfis de usuário com permissões de acesso diferentes e múltiplos cartões, assim o gestor pode criar um usuário para cada colaborador que necessita de acesso ao cartão sem comprometer a segurança ou dados sigilosos. 

4. Determine o processo de aprovação e o relatório de gastos

Geralmente, são estabelecidas 3 etapas para o uso dos cartões de crédito corporativos:

  1. Aprovação do gasto;
  2. Pagamento;
  3. Prestação de contas.

Sem adicionar as etapas de aprovação e prestação de contas, o controle financeiro pode ficar comprometido. Dessa forma, é essencial estabelecer processos simples e rápidos para que os gastos sejam aprovados e posteriormente relatados sem perdas ou fraudes. 

5. Estabeleça fiscalizações e penalidades para o mau uso do cartão corporativo

Para garantir que as regras sejam cumpridas, estabeleça processos de fiscalização para verificar se não háo fraudes e penalidades para quem não seguir o que foi combinado. 

Essa prática é importante para garantir que os usuários do cartão de crédito estão seguindo as normas e agindo conforme o interesse da empresa. A definição de punições claras para quem não seguir as regras determinadas podem variar de uma advertência até rescisão de contrato por justa causa, dependendo da gravidade da infração.

Estabelecer regras claras sobre o uso do cartão de crédito corporativo que definem o que pode ou não ser feito vai além da saúde financeira do negócio. Algumas infrações, como as fraudes fiscais, por exemplo, podem causar problemas tributários e legais à empresa que podem destruir a organização.  

Qual é o limite de um cartão de crédito empresarial?

O cartão de crédito pode ter limite pré-aprovado ou limite garantido, conhecido como Secured Card. No primeiro caso, o valor é definido pela instituição financeira do cartão e pode ser negociado ao longo do tempo. 

Já no cartão de crédito com limite garantido, é o próprio cliente que define o limite do cartão por meio de uma transferência bancária. Então, se a empresa precisa aumentar o limite, não é necessário passar por um longo e burocrático processo de aprovação, basta fazer uma transferência para a conta com o limite desejado e automaticamente o crédito ficará disponível, sem análise de crédito. 

Para conseguir mais limite, é importante ter um bom relacionamento com a instituição financeira. Construir limite de crédito no mercado é possível, basta seguir alguns passos, como pagar as contas em dia e ficar de olho no score de crédito.

Cartão de crédito corporativo: pré-pago x pós pago

De maneira resumida, existem dois tipos de cartões corporativos que podem ser utilizados por dois públicos, o interno e o externo. O modelo de cartão pré e pós-pago são para os colaboradores, enquanto o de fornecedor fica disponível para o público externo. Conheça mais sobre eles a seguir!

Cartão pré-pago corporativo

Funciona com a recarga de valores, como um adiantamento de despesas. Assim, em vez de disponibilizar algum valor na conta pessoal do colaborador, a quantia fica disponível em uma plataforma controlada pela empresa. 

Então, ele funciona como um cartão de crédito, mas atuando como um de débito, já que é necessário ter saldo para a efetivação do pagamento. Sempre que for necessário, a empresa pode fazer uma recarga. Por isso, esse cartão corporativo sempre respeitará o limite selecionado. 

Entre as vantagens do cartão pré-pago corporativo, a principal é o maior controle financeiro proporcionado. Isso porque é possível visualizar com facilidade os gastos de cada cartão, o saldo restante, a construção de histórico e o relatório de uso. 

Cartão pós-pago corporativo

Assim como o de pessoa física, o corporativo ou empresarial vai gerar uma fatura. Então, os gastos realizados em um mês serão pagos apenas no seguinte. Além disso, há a possibilidade do parcelamento. 

No entanto, para o bom funcionamento é necessária uma prestação de contas cuidadosa, caso contrário o processo fica suscetível a irregularidades. A maior vantagem desse modelo é a liberdade proporcionada aos colaboradores e, se acompanhada de uma política bem construída, mais tranquilidade para o financeiro. 

Precisa ter conta PJ para ter cartão de crédito PJ?

A principal diferença do cartão de crédito de pessoa física para o cartão de crédito PJ é justamente porque ele é voltado especificamente para pessoas jurídicas. Portanto, para solicitar esse tipo de cartão, é obrigatório ter uma conta como pessoa jurídica em um banco tradicional ou digital. 

É por meio dessa conta que o empreendedor terá a possibilidade de realizar saques, gerenciar as compras e ter acesso as demais informações sobre o capital que entra e sai da empresa. 

Como pagar a fatura ou boleto de um cartão PJ?

A fatura de um cartão de crédito PJ é gerada assim como a de um cartão de crédito para pessoa física, em um boleto que pode ser pago com o saldo da própria conta bancária, em lotéricas ou até por outro banco. 

O essencial é lembrar de efetuar o pagamento no prazo estabelecido para, além de evitar o pagamento de juros e multas, também manter um score de crédito positivo no mercado. Usar uma conta que ofereça a possibilidade de usar débito automático ou o próprio saldo para quitação automática do débito é interessante para não perder a data de vencimento. 

Existe anuidade para cartão de crédito empresarial?

A anuidade é uma tarifa cobrada pela prestação de serviços da instituição financeira, como a administração, a manutenção, o gerenciamento e o monitoramento do cartão. Essa cobrança é feita pelo banco responsável pela emissão do cartão de crédito empresarial.

No entanto, é possível encontrar empresas que não cobram taxa de anuidade quando há o uso dos cartões, como é o caso da Conta Simples.

Qual é o melhor cartão de crédito para sua empresa?

Partindo do princípio que cada empresa tem demandas diferentes, o melhor cartão de crédito PJ será aquele que atende às necessidades e particularidades de cada negócio. 

Por exemplo, caso você precise aumentar o score de crédito da sua empresa, uma boa saída é procurar uma instituição financeira que ofereça a possibilidade do cartão de crédito com limite transferido, assim você mesmo determina o limite de crédito do seu cartão empresarial. 

Considere, também, as instituições financeiras que tenham outras facilidades para simplificar o controle financeiro da sua empresa, como o centro de custos e a gestão centralizada em uma mesma plataforma. 

O melhor cartão, portanto, é aquele que atende às necessidades da companhia, não só no momento de fazer compras, mas como um aliado do time financeiro na gestão de todos os gastos e como um facilitador para a assinatura dos programas e plataformas necessárias. 

É possível fazer compras online com cartão da empresa?

Com um cartão de crédito corporativo, é possível fazer qualquer tipo de compra que aceite como forma de pagamento o crédito. Isso inclui compras online, e-commerces, em lojas físicas ou compras recorrentes, como aplicativos de mobilidade ou alimentação. 

Basicamente, o cartão de crédito empresarial funciona como um cartão para pessoa física, com a diferença de estar vinculado a um CNPJ, não a um CPF. 

Atualmente, o cartão de crédito empresarial se tornou uma ferramenta indispensável para as empresas, por conferir mais segurança e praticidade ao processo de compras online, especialmente quando o assunto são as plataformas de assinatura recorrente e os softwares

A Conta Simples oferece uma plataforma inteligente de cartões corporativos virtuais e físicos e ainda oferece uma conta-corrente aliada à gestão de despesas para empresas. A solução integrada é feita na medida para startups que precisam de fluidez e celeridade, mas não podem perder a visibilidade de cada transação. 

Muitas vezes, por serem jovens, essas empresas não têm um histórico de crédito e, com isso, têm dificuldade de conseguir limites que correspondam à sua capacidade de movimentação financeira. Portanto, o teto de gastos de acordo com o limite transferido em conta é uma mão na roda para os negócios da nova economia. 

Para conhecer mais sobre a solução da Conta Simples, entre em contato com um de nossos especialistas.

Acompanhe, dia 27 de fevereiro, no Canal da Conta Simples do YouTube, uma live especial contando todas as novidades que estão vindo por aí!

Newsletter

Conta Simples

Mais vistos

Como a economia circular transforma as finanças empresariais?
Entender como a economia circular pode transformar as finanças empresariais é crucial para o sucesso...
Como a rodada de investimento Series B impulsiona startups
Despesas administrativas e operacionais: entenda como analisá-las
CFO Insights: estratégias para tomada de decisão financeira

Relacionados

Caution in investing Economic situation warning, Phishing and internet security concept, Businessman using smartphone with warning sign. smishing phishing golpe
Gestão de Risco

O que é smishing: proteja seus dados online dessa ameaça

Dual Slot GSM Micr and Memory Card on Smartphone. Concept of Swapping SIM Number. Selective Focus golpe sim swap
Gestão de Risco

Golpe do SIM Swap: como se manter seguro contra esse e outros golpes

Mulher vestida de blusa verde colocando em prática dicas para empreendedores iniciantes
Empreendedorismo

10 dicas para empreendedores iniciantes

Cybersecurity and privacy concepts to protect data. Lock icon and internet network security technology. Businessman protecting personal data on smartphone, virtual screen interfaces. cyber security. engenharia social golpes cibersegurança
Gestão de Risco

Desvendando a engenharia social: como se proteger dos golpes psicológicos