Dicas de segurança: como manter a sua senha segura

Ao longo deste texto, exploraremos não apenas a grande importância das senhas, mas também estratégias eficazes...

No universo digital, as senhas desempenham um papel crucial, funcionando como chaves que abrem portas para nossos e-mails, redes sociais e aplicativos essenciais. A segurança adequada dessas chaves é essencial para evitar acessos não autorizados e prejuízos.

Ao longo deste texto, exploraremos não apenas a grande importância das senhas, mas também estratégias eficazes para fortalecer a segurança digital.

cybersecurity concept, user privacy security and encryption, secure internet access Future technology and cybernetics, screen padlock. segurança da informação senhas senha

A importância de nossas senhas

Imagine que sua senha é como uma chave que tranca suas “propriedades digitais”. Através delas conseguimos nos autenticar em nossos e-mails, redes sociais, celulares, computadores e aplicativos bancários. É como se estivéssemos abrindo as portas destas ferramentas que são essenciais hoje em dia. 

As senhas têm como principal objetivo verificar sua identidade, ou seja, apenas alguém que saiba seus dados de autenticação consegue acesso às suas contas, e justamente por este motivo recomendamos que apenas você conheça tais dados!

Confidencialidade das senhas

Assim como não devemos entregar as chaves de nossa casa a qualquer pessoa, não devemos compartilhar nossas senhas com ninguém, mesmo que seja alguém conhecido. Uma vez que enviamos estas informações, corremos o risco de que elas sejam divulgadas para mais pessoas mesmo que acidentalmente.

Imagine que você compartilhou uma senha bancária por meio de uma rede social ou aplicativo mensageiro e pouco tempo depois sua conta nesta mesma rede foi comprometida.

A pessoa que estiver com acesso à rede social, terá acesso ao histórico de conversas e consequentemente, terá acesso aquela senha que você compartilhou no passado.

O mesmo cuidado deve ser tomado na maneira com que guardamos estas senhas. Devemos evitar mantê-las armazenadas nos blocos de notas dos celulares, pois caso seu dispositivo seja roubado, a pessoa que estiver com ele em mãos terá livre acesso às suas senhas e consequentemente aos seus dados e contas.

Complexidade das senhas

Não adianta nada ter uma chave bem guardada se ela é fácil de copiar, certo? Por isso, aquela sua senha “123456” ou “senha123”, que você usa com frequência, não está garantindo sua segurança. Essas são como chaves genéricas que qualquer um pode ter uma cópia.

Devemos nos preocupar em criar senhas complexas, para que as adivinhar se torne uma tarefa menos simples aos fraudadores.

Utilizar sequências de caracteres, datas de aniversário ou até mesmo nome de familiares, ou pets, torna a adivinhação muito mais fácil, até porque divulgamos muitas destas informações pessoais diariamente nas redes sociais.

Falando sobre senhas seguras, o ideal é que elas tenham ao menos 8 caracteres, porém quanto mais, melhor. Além disso, uma senha segura tem uma mistura de letras maiúsculas, minúsculas, números e símbolos.

Podendo até mesmo haver a substituição de caracteres por números que tenham semelhança visual.

É recomendado ainda que utilizemos frases ao invés de apenas palavras, seguindo ainda o mesmo critério acima. Um exemplo: a senha “AguaMoleEmPedraDura” se torna “4gu4m0l33mp3dr4dur4”.

Reutilização de senhas

Uma prática muito comum é a de reutilizarmos senhas, ou seja, a mesma senha que utilizamos em uma rede social, utilizamos em todas. Este comportamento é comum justamente, pois decorar senhas é uma tarefa complexa.

Este tipo de comportamento pode nos oferecer riscos, pois caso uma destas senhas seja divulgada, a pessoa que tiver acesso a ela, conseguirá acessar todas as nossas contas.

Recomenda-se utilizar senhas únicas para cada sistema, rede social e, principalmente, aplicativos bancários, para dificultar a vida de alguém mal-intencionado que quer ter acesso às nossas contas.

Autenticação multifator 

Hoje diversas ferramentas e redes sociais contam com recursos de autenticação multifator, que são aquelas etapas de confirmação de identidade para saber se você realmente é você.

Isso pode ser feito de várias formas como notificações push solicitando que autorize a entrada nas contas, confirmações via SMS ou até mesmo acesso a tokens a partir de aplicativos.

Estas camadas extras funcionam como se fosse o porteiro de um condomínio. Mesmo que você tenha a chave, caso verifiquem que sua identidade é diferente da pessoa proprietária daquela chave, o acesso não será liberado.

Grandes empresas de tecnologia como Google e Microsoft contam com aplicativos autenticadores próprios, que facilitam a gestão destas “chaves adicionais”, permitindo centralizarmos estes acessos em menos locais. 

Gerenciadores de senhas

Existem diversos aplicativos que funcionam como gerenciadores de senhas. Mantendo a analogia das chaves, esses aplicativos funcionam como claviculários que manterão suas chaves restritas e só quem tiver acesso à chave principal conseguirá acessar as demais.

Estes recursos facilitam a gerência das senhas, possibilitando que não precisemos decorar a cada uma delas, mas sim apenas a senha principal. Permitindo assim que sejam utilizadas senhas mais longas e complexas.

Recursos biométricos

Além das senhas tradicionais, compostas apenas por texto, hoje é muito comum que algumas instituições utilizem recursos biométricos para validar identidades ou até mesmo para autenticação, substituindo ou complementando a proteção criada pelas antigas senhas.

Estes recursos tornam mais preciso e mais prático o processo de autenticação nos nossos aplicativos de uso rotineiro, pois em alguns casos não precisamos decorar as senhas de acesso.

Utilizá-los como um recurso adicional de segurança no momento do login cria uma camada extra de segurança, dificultando o acesso direto aos nossos dados ou conversas em redes sociais, por exemplo.

Como aumentar a segurança referente às senhas? 

  • Utilize senhas seguras: Crie senhas complexas, misturando caracteres especiais a letras maiúsculas, minúsculas e números. Prefira o uso de frases ao invés de palavras únicas;
  • Não compartilhe suas senhas: Evite enviar senhas por meio de mensagens de texto ou redes sociais, para reduzir o risco de vazamento de credenciais;
  • Não anote senhas: Evite anotar senhas em papéis ou outros meios físicos, pois caso alguém tenha acesso a estas anotações, suas senhas serão expostas;
  • Não salve senhas em dispositivos móveis: Evite salvar senhas em blocos de notas ou mensagens no celular, principalmente aquelas que se utiliza para autenticação em aplicativos bancários, pois caso o celular seja roubado, a pessoa que tiver acesso a ele também terá acesso às suas contas de maneira fácil;
  • Tome cuidado com as tentativas de phishing: Phishing é o ato no qual os atacantes cibernéticos tentam te enganar para que você forneça informações sigilosas ou realize ações indesejáveis, como clicar em um link ou baixar um anexo infectado. Eles fazem isso usando e-mails e mensagens de texto disfarçados de contatos, empresas ou entidades públicas, para que você reaja sem pensar duas vezes;
  • Se atente aos certificados de segurança das páginas: Evite criar contas em sites que não contam com certificados digitais de segurança. Ao acessar os sites, verifique a existência de um ícone de cadeado fechado na barra de endereços e valide se o endereço começa com https://, caso exista apenas o prefixo http://, evite acessá-lo;
  • Monitore as atividades das contas: Mantenha notificações de aplicativos bancários sempre habilitadas, para poder receber alerta de qualquer tipo de acesso ou transação efetuada;
  • Utilize softwares gerenciadores de senhas: Tais softwares têm como função facilitar a gerência de nossas senhas, uma vez que não precisamos decorar a cada uma delas;
  • Não reutilize senhas: Ao reutilizar senhas aumentamos o impacto do risco caso essas sejam expostas;
  • Altere suas senhas sempre que necessário: Caso suspeite que alguém pode ter conseguido acesso a alguma de suas senhas, altere-a imediatamente para evitar qualquer tipo de acesso indevido às suas contas;
  • Habilite os recursos biométricos: Sempre que disponível, habilite os recursos biométricos nos aplicativos de celular, pois se cria uma camada adicional de validação que vai além das senhas tradicionais.

Seguindo as dicas apresentadas por aqui, podemos garantir que nossas chaves estarão melhores protegidas de qualquer um que tente consegui-las. Mas lembre-se: quando o assunto é nossa segurança digital, todo cuidado é pouco!

Newsletter

Conta Simples

Mais vistos

Como a economia circular transforma as finanças empresariais?
Entender como a economia circular pode transformar as finanças empresariais é crucial para o sucesso...
Como a rodada de investimento Series B impulsiona startups
Despesas administrativas e operacionais: entenda como analisá-las
CFO Insights: estratégias para tomada de decisão financeira

Relacionados

Caution in investing Economic situation warning, Phishing and internet security concept, Businessman using smartphone with warning sign. smishing phishing golpe
Gestão de Risco

O que é smishing: proteja seus dados online dessa ameaça

Dual Slot GSM Micr and Memory Card on Smartphone. Concept of Swapping SIM Number. Selective Focus golpe sim swap
Gestão de Risco

Golpe do SIM Swap: como se manter seguro contra esse e outros golpes

Mulher vestida de blusa verde colocando em prática dicas para empreendedores iniciantes
Empreendedorismo

10 dicas para empreendedores iniciantes

Cartão de crédito PJ: vale a pena ter um cartão empresarial?
Gestão Financeira

Cartão de crédito PJ: vale a pena ter um cartão empresarial?